Eu venho dêrne menino, Dêrne munto pequenino, Cumprindo o belo destino Que me deu Nosso Senhô. Eu nasci pra sê vaquêro, Sou o mais feliz brasilêro, Eu não invejo dinhêro, Nem diproma de dotô
Sei que o dotô tem riquêza,
É tratado com fineza, Faz figura de grandeza, Tem carta e tem anelão, Tem casa branca jeitosa E ôtas coisa preciosa; Mas não goza o quanto goza
Um vaquêro do sertão

 1 2 3Next
BACK to os amigo do jardim limoeiro
Become a fan! Follow da9 and receive an email every time da9 uploads new images!